Escola de Negócios EENI Business School

Por que precisamos ética global para os negócios



Compartilhar por Twitter

Crise global (Finanças, economia) precisamos de uma ética global!

Ética global e negócios internacionais. Religiões: pilar da ética global, Não-Violência, Harmonia

Estamos em uma crise global (as finanças, a economia, a política...), precisamos de uma ética global!.

Como já vimos, a ética global pode influir em...

  1. Os negócios internacionais: Para a empresa Ahimsa?

Mas também em:

  1. Um novo modelo de Globalização
  2. A ciência
  3. A educação
  4. A política
  5. O diálogo entre as religiões e culturas
  6. ...

Estudante Mestrado e Doutoramento Online em negócios internacionais

Globalização e organizações

Harmonia entre as religiões e negócios internacionais (Sri Ramakrishna) Negócios Internacionais Ahimsa (Não-Violência) Jainismo

Os princípios da ética global influenciam nos negócios internacionais e na própria globalização.

1- Negócios Internacionais e Ética global..

a) - As estratégias de marketing internacional:

Adaptá-la globalmente com os princípios da ética global

Impacto em:

  1. As políticas de desenho do produto, promoção e comunicação, preços, estratégias de distribuição, posicionamento, branding, segmentação..
  2. A cadeia de valor (fornecedores, distribuidores, filiais...)
  3. As pessoas (trabalhadores, gerentes, diretores...). Código Ético

b) As relações da confiança.

Uma empresa que aplique os princípios da «ética global» possa aumentar o seu negócio, melhorar a lealdade de marca, melhorar as relações com fornecedores, parceiros, clientes, empregados...

c) Evitar colisões interculturais.

- A negociação intercultural (Hoffstede, Edward Hall...) mede as diferencias entre as culturas. A ética global baseia-se nos valores comuns.

d) A economia digital. Google, Facebook... Quem controla os limites de privacidade e dos princípios éticos dos seus modelos de negócio?.

2- Um Novo modelo de globalização.

Um livre mercado baseado nos princípios da ética global, e respeitando ao médio ambiente e à humanidade.

Para um capitalismo espiritual (conceito de Empresa Ahimsa). O sucesso de uma empresa mede-se por:

  1. Os valores: integridade, não-Violência (ahimsa), tolerância..
  2. Os resultados: eficiência, rentabilidade.

Recorde: os líderes espirituais estão mostrando o caminho. Alguns líderes empresariais do mundo estão desenvolvendo os seus ensinos...

Temos que abrir nossa mente e nosso coração à visão não ocidental...

Ao Hinduísmo...

Hinduísmo, Zoroastrismo, Jainismo, Siquismo e Negócios Internacionais

O Budismo...

Ao Islão...

Islão, Ética e Negócios. Espaços Económicos Islâmicos

- Zakat (solidariedade).
O imposto Zakat como base da política fiscal islâmica. Um bom muçulmano deve pagar anualmente 2,5% do seu património da sua riqueza neta (não do seu património), para benefício dos irmãos mais despossuídos.

- A função dos bancos na economia islâmica
Um banco islâmico não pode ser um simples prestamista que não participe no negócio, senão que o banco deve tomar uma função bem mais ativa, deve ser um parceiro financeiro, portanto assume os riscos da empresa e portanto terá uma parte da propriedade do negócio.

Ética Islão

Ao Jainismo...

Cristianismo e Negócios (catolicismo, protestantismo)

Ao Cristianismo... (Líderes espirituais cristãos).

Aos Agnósticos...

A economia, as finanças, a política... Têm-se globalizado... Por que não a ética?

A história da humanidade legou-nos através de nossos antepassados estas tradições de sabedoria, estas janelas abertas ao entendimento que hoje, na era da digitalização, nós ou quiçá as próximas gerações podem as perder. O poeta inglês T.S. Elliot explicou-nos este risco com estas formosas palavras.

Onde está o conhecimento que perdemos na informação?
Onde está a sabedoria que perdemos no conhecimento? TS Elliot

O Bagavadguitá, um dos livros sagrados do hinduísmo, escrito faz 2,300 anos, diz...

«Quando a bondade desfalece,
Quando a maldade aumenta,
Quando esquece-se o propósito da vida.
Me manifestarei, voltarei.
Para pronunciar o sagrado; para destruir o pecado do pecador, para restabelecer o caminho dos princípios».

Pedimos desculpas de novo, se já seja pela ignorância ou falta de informação, possa ofender a algum seguidor das religiões analisadas.

Bagavadeguitá, Sri Ramakrishna e Swami Vivekananda.

Ética e negócios.

Religiões e Negócios Internacionais



(c) EENI Global Business School (1995-2024)
Não usamos cookies
Topo da página

EENI: O Conhecimento leva à unidade, assim como a ignorância à diversidade