Escola de Negócios EENI Business School

México: investimento estrangeiro direto IED



Compartilhar por Twitter

Conteúdo programático da unidade curricular (UC) da EENI

México: segundo recetor de investimento na Ibero-América, por trás do Brasil

  1. Quadro geral para o investimento estrangeiro direto no México
  2. Visão geral do investimento estrangeiro direto (IED) no México
  3. As mudanças e as tendências de IED
  4. Investimento estrangeiro direto por setores, Estados mexicanos e país de origem
  5. Incentivos para o investimento estrangeiro
  6. Acordos para a Promoção e a Proteção Recíproca de Investimentos

Estudante doutoramento / mestrado, negócios internacionais, comércio exterior

A UC «O Investimento estrangeiro no México» é estudada nos seguintes programas ministrados pela EENI Global Business School:

Mestrado em Negócios Internacionais, Comércio Exterior.

Mestrados em Comércio Exterior e Negócios Internacionais

Doutoramento: Comércio Mundial.

Doutorados (Doutoramentos) Profissionais em Negócios Internacionais

Ensino superior à distância (Cursos, Mestrados, Doutoramento) em Português, comércio exterior Mestrado negócios internacionais comércio exterior EAD em Espanhol México Estudar comércio exterior em Inglês online Mexico Estudar mestrado negócios internacionais e comércio exterior em Francês Mexique.

Negócios no México

O México é o segundo recetor de investimento estrangeiro direto na Ibero-América, justo por trás do Brasil.

O investimento estrangeiro direto no México ascendeu a 13.429 milhões de dólares.

Investimento estrangeiro direto no México por setores:

  1. Setor manufatureiro (inclui maquilas) 41,5%
  2. Os serviços financeiros e seguros 11,3%
  3. Meios em massa de informação 8%
  4. A construção 6,9%
  5. A mineração 5,1%
  6. Outros setores 8,9%

O investimento estrangeiro direto teve como principal destino o Distrito Federal, o qual captou 6 mil 985,7 mdd e integrou 39,4% do total. Em segundo lugar, dirigiram-se 5 mil 96,8 mdd ao estado de Novo Leão (28,8% do total), devido à quantidade de investimento envolvido no intercâmbio acionário entre FEMSA (com domicílio em essa entidade federativa) e Heineken.

Adicionalmente, destaca a quantidade de investimento estrangeiro direto que canalizou-se a Chihuahua (um mil 413,6 mdd) e Jalisco (um mil 153,5 mdd), os quais tiveram uma participação de 8 e 6,5%, respetivamente.

Os EUA foi o primeiro investidor no México, com um 65,5% total de investimento, seguido pela Espanha com 13,2%, a Suíça contribuiu 9,4%, o Japão 2,6%, o Canadá 1,4% e outros oitenta países repartiram-se 7,9% restante.

O principal investidor segue sendo Estados Unidos com 54,1% do total, a UE em seu conjunto com 33,8% (destacando Espanha como segundo investidor no México com 15,2% do total, os Países Baixos com 10,7%, o Reino Unido com 3,3% e a Alemanha com o 1,7%) e o Canadá com 3,8%.

Acordos do México: UE, MERCOSUL, TLCAN, SELA, APEC, ALADI...




(c) EENI Global Business School (1995-2024)
Não usamos cookies
Topo da página

EENI: O Conhecimento leva à unidade, assim como a ignorância à diversidade